5 de abr de 2008

Soro antiofídico (como é feito)

Hoje eu estava pensando no que postar aqui no blog, e tive algumas idéias, mas essa me chamou a atenção e decidi colocar aqui o processo para a obtenção do soro antiofídico.

Primeiramente, o veneno de uma serpente peçonhenta é retirado por meio da extração manual.
Após essa etapa o veneno passa por um processo de extração total da água, que é chamado liofilização e é armazenado em um freezer. Depois o soro recebe uma solução fisiológica para se tornar liquido novamente. Antes desse liquido ser aplicado no cavalo para que o cavalo produza os anticorpos (o soro), ele é diluído ainda mais, para se tornar menos potente. O cavalo receberá em intervalo de dias, várias aplicações deste veneno, sendo que a cada aplicação o veneno será menos diluído, ou seja, mais concentrado, mas nunca contendo 100% do veneno (o que faria mal para o animal).
Depois de umas seis semanas o cavalo é sangrado. Retira-se de seis a oito litros de sangue (uma quantidade que não colocará em risco a vida do animal). Porém não é o sangue que precisa, e sim os anticorpos. Então através de um processo chamado centrifugação, é separado o sangue dos anticorpos (os chamados antígenos), que serão aplicados no paciente que foi picado.

Uma coisa que deve ser lembrada é que no soro também terá substancias estranhas ao corpo do paciente, fazendo com que o paciente crie anticorpos contra o próprio soro.
Os efeitos colaterais podem ser desde uma urticária ou insuficiência renal, até o choque anafilático, que pode levar a morte. Por isso deve ser feito um teste alérgico antes da aplicação do soro antiofídico.

OBS: Como você já deve ter ouvido a seguinte frase: "o primeiro passo é reconhecer a serpente que te picou ou levar ao hospital viva ou morta".
-Para que isto?
Não existe somente um tipo de soro, ou seja, para cada tipo de serpente, um tipo de soro.
Existem basicamente quatro tipos de soro (que são específicos, em caso de certeza de que animal se trata).
São eles:
Antibotrópico- para acidentes com jararaca, jararacuçu, urutu, caiçaca, cotiara.
Anticrotálico- para acidentes com cascavel.
Antilaquético- para acidentes com surucucu.
Antielapídico- para acidentes com coral.



12 comentários:

Anônimo disse...

num consegui saber nada, e ainda li esse bagulho aff ¬¬

Anônimo disse...

Vc poderia colocar tambem dos soros em geral!!!!!!!!! mas adorei seu blog pois serei bióloga visita meu blog aew! festavirtualdabarbara.zip.net vlw!

Anônimo disse...

Poderia especificar um pouco mais sobre os soros por quais são os 5 tipos e para que picadas serven.

Anônimo disse...

Gostei muito mesmo!Entendi o que o tezto propunha.
Então acho que foi bem legal,então no casso gostei muito mesmo do seu blog

Anônimo disse...

isso é mt podre não da pra entender nada disso

Diário de Valentina disse...

Ahh *-*
Eu gostei do blog sim, me ajudou muito no trabalho de biologia.
Obrigada!
Beijos :*

vane-n2011 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

EEEEEEEEEEEEEEEU QUERO SABER COMO É FEITO O SOOOOOOOORO???????

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

EEEEEEEEEEEEEEEU QUERO SABER COMO É FEITO O SOOOOOOOORO???????

18 de maio de 2011 10:49

-----------------------


Nossa até eu que to na sexta série entendi'-'

Anônimo disse...

gostei muito do texto

Lara Martuscelli Bruno disse...

Muito bom! Minha resposta para um trbalho ficou completinha! Parabéns pelo texto! Você é d+!

Anônimo disse...

me ajudou muito
obrigada