31 de ago de 2008

Jibóia, saiba o básico sobre esse ilustre membro da família Boidae!

Talvez a mais conhecida entre os criadores brasileiros, a jibóia é uma das melhores serpentes pra se manter em cativeiro, tanto que faz muito sucesso não só aqui no Brasil, mas também no exterior, onde o a criação de serpentes não é só permitida, como também é uma atividade que cresce a cada dia.

Não é de hoje que as representantes da família Boidae - que também comporta a píton, a sucuri, a periquitambóia, etc - são os adorados bichinhos de estimação dos admiradores dos répteis.

O porque de tanto sucesso se deve a vários fatores, tais como docilidade, imponência, beleza, e acima de tudo, a facilidade de mantê-la de forma adequada em cativeiro.

No Brasil encontramos duas subespécies de jibóias, a Boa constrictor constrictor e a Boa constrictor amarali. Por não ser uma matéria científica, poderemos tratar as subespécies respectivamente por "Bcc" e "Bca".

A subespécie Boa constrictor constrictor é encontrada predominantemente na Mata Atlântica, restingas, mangues, no cerrado, na caatinga e na Floresta Amazônica, mas sua distribuição não se limita apenas ao Brasil, atingindo também Trinidad e Tobago, Venezuela, Guianas e Suriname. Considerada por muitos a jibóia mais bonita, são caracterizadas em especial pela coloração da cauda, que pode variar do vermelho-alaranjado ao vermelho vivo. É a maior representante das jibóias, indivíduos adultos podem chegar a 3,5 metros e mais de 30Kg, mas raramente passam disso.

As Bcc’s devem ser mantidas em terrários com umidade em torno de 80% e temperatura variando de 30ºC (dia) e 25ºC (noite), a fonte de calor deve ficar em uma das extremidades do terrário, de modo que o mesmo tenha um gradiente de temperatura por sua extensão, que permita ao animal optar por mais calor ou mais frio, podendo assim se termorregular.


(Essa Bcc absurda de linda ai de cima é um animal nascido no criadouro Arambóia, adiquirido pelo meu grande amigo Beto.)

A subespécie Boa constrictor amarali é encontrada predominantemente no Sudeste e Centro Oeste. Possui a coloração mais escura, puxada para o cinza. A cauda pode trazer partes avermelhadas, mas nada que se compare com uma Bcc. Atingem um tamanho menor, raramente passando dos 2,5 metros. Se compararmos uma Bcc com uma Bca de mesmo tamanho, notaremos que por muitas vezes a Bca terá a espessura maior que a Bcc, porem, enquanto uma Bcc com 1,5 metros teria cerca de 2 anos, uma Bca com esse tamanho provavelmente teria mais de 3 anos. Segundo experiências de alguns criadores, podemos observar também que Bca’s normalmente aceitam presas de tamanho maior que Bcc’s.

As Bca’s devem ser mantidas em terrários com umidade em torno de 60% e temperatura variando de 30ºC (dia) e 25ºC (noite), podendo chegar a 20ºC. A fonte de calor deve ficar em uma das extremidades do terrário, de modo que o mesmo tenha um gradiente de temperatura por sua extensão, que permita ao animal optar por mais calor ou mais frio, podendo assim se termorregular.

Denominação

Número de Escamas

Manchas

Nome Científico

Ventrais

Subcaudais

Meio do corpo

Dorsais

· Boa constrictor constrictor (Linnaeus, 1768)

· Jibóia, Common Boa, Red-Tail Boa,

227-250

49-62

75-95

15-21

· Boa constrictor amarali (Stull, 1932)

· Jibóia, Amaral´s Boa, Short-Tailed

226-237

43-52

71-79

22 ou mais

Muitos afirmam e Bca’s são mais agressivas que Bcc’s, mas particularmente não acho correta essa classificação, pois já vi Bca’s extremamente dóceis, e Bcc’s, totalmente agressivas, que tornavam complicado seu manejo. Devemos observar que cada animal é único e tem “personalidade” própria, sendo uns naturalmente mais agressivos e outros mais dóceis, mas o fator determinante para a agressividade ou ausência dela em uma serpente é o manejo constante e feito de forma correta.

Quanto aos cuidados na alimentação, devemos citar que jibóias, apesar de parecerem as vezes até meio “preguiçosas”, são caçadoras vorazes, se aproximam da presa em silencio, e a surpreendem com um bote rápido e certeiro, iniciando logo em seguida a constrição, estágio onde a presa é apertada pelos músculos do réptil até que não possa mais expandir sua caixa torácica, morrendo assim de parada cardíaca e respiratória.

Jibóias tem um grande apetite, algumas chegam a matar presas que não conseguiriam engolir, mas mesmo assim elas tentam.

Nas diferentes fases da vida a serpente precisará comer presas de tamanhos diferentes e em intervalos diferentes.

O filhote deve comer presas pequenas, que não lhe ofereçam muito risco, como camundongos jovens. Quanto mais nova a serpente, mais constante deve ser a frequencia de alimentação, pois está estará em fase de crescimento. O filhote pode ser alimentado a cada 7 dias, e esse intervalo deve aumentar de acordo com o crescimento da serpente, para 10 dias dos 70 aos 90 cm e de 15 em 15 dias até a fase adulta. Junto com o intervalo também devemos aumentar o tamanho da presa, de camundongos para ratazanas, porquinhos da índia e coelhos. Uma jibóia adulta, com mais de 2,5 metros pode tranqüilamente ser alimentada com apenas um coelho grande a cada 20 ou 25 dias, já que nessa fase ela cresce muito pouco, então não precisa de tanta energia como antes, que era gasta na sua maior parte no crescimento.

A super alimentação causa obesidade, que dentre diversos problemas, pode deixar o animal estéril e encurtar sua vida.

Nunca manuseie qualquer serpente logo após a alimentação, seus instintos estarão especialmente aguçados, e ela pode confundir seu nariz com um ratinho.

Após alimentar, espere o animal fazer a digestão para manuseá-lo, evitando assim que pelo estresse regurgite.

Evite alimentar jibóias com aves, elas são mais gordurosas, possuem menos nutrientes e as penas dificultam a digestão.

Devemos lembrar que serpentes com mais de um metro costumam machucar em caso de mordida, isso se agrava no caso dos boídeos, que são extremamente musculosos e mordem com grande violência. Quem se sujeita a criar um animal desses deve ter em mente o constante risco de mordida, onde se a serpente tiver mais de 2 metros, com certeza o estrago será grande, podendo resultar em alguns pontos. Imagine a da foto abaixo mordendo....

Se a serpente morder e soltar, deve-se lavar o local da mordida com água e sabão, para desinfecção.

Se a serpente morder e fizer constrição, NUNCA tente abrir a boca do animal ou puxar a cabeça dela tentando arrancá-la, essa ação pode causar um dano muito maior para o acidentado. Se isso acontecer, pingue algumas gotas de álcool na boca da serpente, ela soltará imediatamente, pois o mesmo queimará a mucosa da boca da serpente.

NUNCA manuseie uma serpente com mais de três metros sozinho, se houver um acidente com constrição ficará muito difícil se livrar do animal.

Algumas variações de cor e padrão:

Texto de: Isaac Roque



13 de ago de 2008

Okeetee ou comum?

No Brasil, muitas pessoas confundem muito a Corn snake padrão Okeetee com a Corn snake comum.
Vou postar aqui algumas fotos mostrado o que é uma Okeetee e o que é uma comum.

FOTO: Corn snake padrão Okeetee.


FOTO: Corn snake padrão Okeetee


FOTO: Corn snake padrão comum


8 de ago de 2008

Diferença entre fezes e urina



















FOTO: Diferença entre a urina e as fezes de uma Jibóia. (Retirada do blog "serpentescomopet")


7 de ago de 2008

Sexagem

Atendendo a pedidos, vou falar um pouco sobre sexagem e as formas que podem ser feitas.

Sexagem é o nome dado ao exame que pode ser feito tanto nos humanos quanto nos animais para saber o sexo da pessoa ou do animal.

Existem quatro tipos de sexagem: Sexagem com sexador, sexagem por exposição, sexagem "visual" e sexagem por exame de sangue.

A sexagem mais comum é pelo sexador, um objeto que é enfiado na cloaca da serpente e dependendo do tanto que entrar se define o sexo, mas isso varia de tamanho e espécie.

Outro método é o "popping mode", que é o método por exposição. Nesse método aperta levemente com os dedos um pouco em baixo da cloaca da serpente, e se for macho fica visível o hemipênis, e na fêmea não se encontra o hemipênis.

O método da sexagem visual é feito por poucas pessoas e não é 100% perfeito. Nesse método a pessoa descobre o sexo por características físicas, mas não são muitas então nunca pode se afirmar com total certeza só com esse método.

E por último o método do exame de sangue, que é feito detectando pela reação PCR( no português, Reação em Cadeia pela Polimerase), a presença ou ausência de um gene específico, o qual só pode ser encontrado nas fêmeas e nunca nos machos. (informação dada pelo Gabriel)

PS: Devo avisar que NENHUM desses métodos deve ser feito por novatos, e sim por um profissional capacitado para isso.


5 de ago de 2008

Curiosidade: Aumento metabólico = aumento da temperatura corpórea?

Eu estava vendo alguns e-mails sobre serpentes que Rodrigo me enviou, e esse me chamou muito a atenção.

Quando a serpente se alimenta, ela enfrenta um grande desafio para fazer a digestão de um alimento que pode ser em casos extremos maiores que a serpente. Não vou detalhar muito sobre a digestão dela, mas uma das coisas que a serpente faz para ajudar a digerir a presa é o aumento metabólico. O curioso, e assunto principal desse artigo, é que quando as serpentes se alimentam e seu metabolismo aumenta, ela produz um calor suficiente para aumentar sua temperatura corporal.












FOTOS: A primeira mostra uma Cascavel em jejum e a segunda uma Cascavel tirada 24hrs após ter se alimentado.

PS: Dei como exemplo a Cascavel, mas todas serpentes apresentam um metabolismo igual, então vale para todas.


1 de ago de 2008

"Concurso" do blog Mundo rastejante

Devido aogrande numero de visitas no blog (passamos de 1000 e com record de 12 online ao mesmo tempo), eu decidi fazer algo com que todos participassem e pra o pessoal que estuda e entende sobre serpentes ate ajudar.
Estou abrindo agora um "concurso" que é o seguinte:
Os interessados deverão escrever um texto do tamanho que quizer, e sobre o assunto que quizer, contando que seja sobre serpentes... Dia primeiro de setembro eu analisarei e o melhor texto sera postado no blog com nome do autor, perfil do orkut, etc...O criterio de avaliação é CONTEUDO, e nao tamanho, e nem assunto.
A intençao como ja foi dito, é que todos participem, e que o blog não seja só meu, mas de todos os que ajudam para um brasil melhor e com mais informações.

Os interessados é só me avisar, e mandar por MSN ou e-mail... (se me add ou mandar o e-mail, me avise no orkut pra eu saber quem é)...
MSN e e-mail são: lelex1018@hotmail.com

Um abraço à todos.

Alexandre Figueiredo Almança.