25 de set de 2008

As serpentes podem ser vítimas do próprio veneno?

Claramente que não. Isso é quase impossível de acontecer. Primeiro porque as serpentes - até onde sabemos - são imunes à própria peçonha; segundo, porque a língua delas é projetada (dardejamento) para realizar apenas movimentos para frente e para trás. Os movimentos laterais (para onde se localizam as presas inoculadoras de peçonha), não ocorrem, não havendo como picar a própria língua. É importante lembrar que, uma serpente pode ser imune à própria peçonha ou à peçonha de outra espécie, mas pode não o ser diante da peçonha de uma determinada espécie. Por exemplo, a muçurana é imune à peçonha da jararaca, mas é altamente sensível à peçonha da coral-verdadeira do gênero Micrurus. As serpentes ofiófagas podem matar por inoculação de peçonha, no caso da coral-verdadeira (Micrurus sp.), por exemplo; ou ainda por constrição no caso da Muçurana (Clelia clelia). Serpentes ofiófagas como a muçurana apresenta grande importância no controle de outras serpentes como a jararaca, sua principal presa, chegando a comer 17 espécimes por ano. As serpentes são, portanto de grande importância para a cadeia ecológica. Por isso, não devem ser mortas, mas, retiradas das áreas de risco às pessoas e outros animais e colocadas em seu habitat natural; um processo que deve ser feito por um herpetólogo.

O poder mortífero da peçonha das serpentes vem mudando devido à corrida evolucionária. As presas vêm desenvolvendo resistência à peçonha das serpentes e essas por sua vez, vêm desenvolvendo peçonha cada vez mais potente. A isso, a biologia chama “corrida de armas”.

Texto de: Antonio Alvez de Siqueira


5 comentários:

Rodrigo Gavira disse...

Oba, blz? então meu...acho que essa parte ficou meio estranha: "Até mesmo as serpentes que se alimentam de outras serpentes(ofiófagas), matam-nas por constrição e não pela picada, seguida da inoculação da peçonha."

não é bem isso neh? no brasil temos 2 grupos de ofiófagas...as muçuranas (Clelia sp) e corais verdadeiras (Micrurus sp)...embora a muçurana mate por constriçao, a coral mata sim, pela ação da peçonha...assim como outros elapídeos em outras partes do mundo(O. hannah, por exemplo)...
bem, eh isso...
abracao!

Alexandre figueiredo almança disse...

entao rodrigo, esqueci de colocar, esse texto tambem é do Antonio Alvez de Siqueira..
acho que ele deve ter escrito esta parte com presa, ate pq ele escreveu bastante textos em pouco tempo..
obrigado pela correçao, e pela visita.

Alexandre Figueiredo Almança

Alexandre figueiredo almança disse...

Antonio Alvez de Siqueira me mandou isso para eu postar aqui:

"Para Alexandre.
Rodrigo você tem razão. Houve um erro, talvez em função da pressa de entregar os textos ao Alexandre. Gostaria de pedir desculpas a todos por esse lamentável erro. E pediria ao Alexandre que corrigisse o texto se possível.

Assim, Alexandre, você pode substituir o texto postado anteriormente por esse abaixo:


As serpentes podem ser vítimas do próprio veneno?
Claramente que não. Isso é quase impossível de acontecer. Primeiro porque as serpentes - até onde sabemos - são imunes à própria peçonha; segundo, porque a língua delas é projetada (dardejamento) para realizar apenas movimentos para frente e para trás. Os movimentos laterais (para onde se localizam as presas inoculadoras de peçonha), não ocorrem, não havendo como picar a própria língua. É importante lembrar que, uma serpente pode ser imune à própria peçonha ou à peçonha de outra espécie, mas pode não o ser diante da peçonha de uma determinada espécie. Por exemplo, a muçurana é imune à peçonha da jararaca, mas é altamente sensível à peçonha da coral-verdadeira do gênero Micrurus. As serpentes ofiófagas podem matar por inoculação de peçonha, no caso da coral-verdadeira (Micrurus sp.), por exemplo; ou ainda por constrição no caso da Muçurana (Clelia clelia). Serpentes ofiófagas como a muçurana apresenta grande importância no controle de outras serpentes como a jararaca, sua principal presa, chegando a comer 17 espécimes por ano. As serpentes são, portanto de grande importância para a cadeia ecológica. Por isso, não devem ser mortas, mas, retiradas das áreas de risco às pessoas e outros animais e colocadas em seu habitat natural; um processo que deve ser feito por um herpetólogo.

O poder mortífero da peçonha das serpentes vem mudando devido à corrida evolucionária. As presas vêm desenvolvendo resistência à peçonha das serpentes e essas por sua vez, vêm desenvolvendo peçonha cada vez mais potente. A isso, a biologia chama “corrida de armas”."

PS: o texto ja foi corrigido

Anônimo disse...

meu vizinho vive falando da sussuarana existe essa cobra,e se existe e' venenosa?anda aparecendo no meu quintal sao como cobras da agua,barriga branca e as costas douradas,so ele pega(diz ele)e acho que o mesmo anda jogando elas no meu quintal para matar meus gatos,so que eles(os gatos)matam elas primeiro!

Hellen Ferreira disse...

Oi amigo... Entrei nesse site por uma dúvida cruel: eu vi um vídeo no youtube com o título: "cobra morde o próprio corpo e morre" e no vídeo ela se mordeu mesmo e se contorceu toda e morreu. Por favor pode explicar isso?