4 de mar de 2009

Erros mais comuns na criação de serpentes

À pedidos, vou tentar colocar aqui os principais erros cometidos no hobby.

Primeiramente, lembro a todos que os erros são muito comuns, não só por principiantes, mas por todos que tem contato com serpentes. Quando compramos um cachorro, já sabemos o que ele come, o que ele faz, a raça dele, o que ele gosta, o que não gosta, etc. Porém, devido a falta de informação em relação à serpentes, não é assim que funciona com as mesmas, então sempre existe a possibilidade de cometermos um erro. O que faz um bom criador não é não errar, e sim aprender o maximo possivel com os erros.

Abaixo listarei os mais comuns:

1- Com certeza o erro mais comun entre pessoas que iniciam na criação de serpentes é a impaciência. Muitas pessoas compram a serpente antes mesmo de saber o básico sobre ela. Não sabem o que come, onde ela vai ficar, etc. Então sem duvida o primeiro passo para começar com o menor numero de erros possivel, é estudar bastante antes de adquirir seu animal. Acredite, não vai ser nada bom ficar com a serpente em uma caixa de papelão até o terrario ficar pronto, ou ter que catar passaros do vizinho pra dar pra cobra sem nem saber o que ela come.

2- Posse irresponsável. Se você quer um animal, tem que estar preparado, e ter responsabilidade para o mesmo. Tem alguns pontos que devem ser analizados antes de comprar uma serpente. Uma Jibóia por exemplo, pode viver mais de 30 anos. Você está disposto a ficar com ela 30 anos? ou apenas até você enjoar dela, e a vender? Lembre-se também que as "babys" crescem, você tem condições de ter um animal adulto (com tamanho variando de espécies) na sua casa? Não dê ao animal uma prisão, e sim um lar. Não tenha o animal só por ter, dê seu maximo para seu bem estar, sua serpente agradeçera por isso.

3- Os improvisos (as famosas gambiarras). Fazer um terrario de tela de alumínio, com terra como substrato, com aquecedor cheio de fios dentro do terrário, tem se tornado bem comum. Tente fazer o menor numero de improvisos possíveis. Um terrário de madeira, vidro ou plástico, são MUITO mais seguros do que um terrário feito de tela com quatro estacas as segurando. Usar um bom substrato não é difícil, qualquer pessoa consegue jornal velho de graça. Um aquecedor bom, e com termostato, não custa caro, e nós vamos ver em uma próxima matéria que a queimadura feita por pedras caseiras de aquecimento estão entre as principais complicações mais comuns entre serpentes em cativeiro.

Esses são os mais basicos, agora vou falar alguns que acontecem mesmo com quem está a mais tempo no hobby.

3- Nunca duvide de uma serpente quando o assunto é fuga. Acho difícil alguém que ja teve algumas serpentes e nunca passou por essa experiência. Elas fogem em qualquer lugar, algumas vezes sem explicação. Parece brincadeira, mas é verdade. Elas são mestras nisso.

4- Super alimentação. Isso é bem comum. Muitos criadores vêem suas serpentes crescendo e querem dar uma acelerada. E com isso acabam alimentando à mais do que o necessário. Se você der 6 camundongos adultos à uma Jibóia de 1,3m por exemplo, ela pode comer todos, e 10 dias depois comer mais 6. Porém, isso nao significa que está sendo saldavel para ela. Dê uma quantidade balanceada, sem deixar a desejar, nem super alimenta-la.

5- Automedicação- Isso é além de um dos erros mais frequentes, é um dos piores. NUNCA automedique sua serpente, ou qualquer outro animal. Nem a deixe na mão de um amigo só porque ele tem mais de 10/20/30 anos na criação de serpentes. Muitos criadores antigos acabam aprendendo bastante sobre isso, porém, não é nada garantido. Ao primeiro sinal de um problema, leve-a à um veterinario expecializado. Não coloque em risco a vida de sua serpente, seja consciente.

Bem, os mais comuns são esses, qualquer coisa que esqueci de falar, coloquem nos comentários por favor que colocarei aqui.


Nenhum comentário: